Travesti é assassinada a facadas e corpo é encontrado pelo cunhado no Ouro BrancoBárbara Sá

 travesti morta

Uma travesti, conhecida como “Júlia”, com nome de registro Júlio César de Arruda, foi encontrada morta a facadas e quase teve a cabeça arrancada do corpo no bairro Ouro Branco, em Várzea Grande. As informações são de que a vítima foi encontrada na manhã de domingo (21), dentro de casa.

Júlia quase foi decapitada pelo criminoso e estava usando short e blusa. O cunhado contou aos investigadores que a travesti trabalhava como cozinheira em uma peixaria e que costumava tomar café com a mãe, mas não apareceu.

Conforme relato do boletim de ocorrência, foi o cunhado da vítima que registrou a ocorrência e acionou a Polícia Militar, após pular o muro da casa.

No local, ele encontrou um botijão de gás e um aparelho de DVD perto do muro da residência, por isso, resolveu pular para ver se havia acontecido algo. A casa da travesti estava bagunçada e com marcas de sangue.

Vizinhos contaram aos investigadores que a vítima era querida e muito reservada quanto à vida pessoal, e teria comentado apenas sobre um possível namorado. Mas destacaram que nunca o viram ou conheceram. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi acionada e vai investigar o caso.

SEM COMENTÁRIO