Polícia Civil apreende adolescente com ‘fábrica’ de diplomas e atestados falsos em Sorocaba

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Sorocaba (SP) apreendeu na tarde desta quinta-feira (25) um adolescente de 17 anos suspeito de vender documentos falsos pela internet.

Com ele, os policiais encontraram uma grande quantidade de diplomas e históricos escolares, papéis em branco para impressão de documentos, computadores e impressoras. Até um bloco de atestado médico com carimbo de um profissional que trabalha na Prefeitura de Sorocaba foi apreendido.

De acordo com o delegado titular da DIG, Acácio Aparecido Leite, o caso começou a ser investigado por causa de um post do adolescente em um página de vendas no Facebook. Na postagem, o adolescente oferecia histórico escolar ou certificado de vários cursos em 24 horas pelo preço de R$ 80. “Fizemos a simulação da compra de um documento e acabamos apreendendo o adolescente no momento da entrega em um shopping da cidade.”

Adolescente anunciava falsificações em um grupo de vendas no Facebook (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Adolescente anunciava falsificações em um grupo de vendas no Facebook (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

O motorista de um aplicativo de transporte, que acompanhava o menor durante as entregas, foi detido, mas liberado depois de ser ouvido. “Ele alegou apenas prestar o serviço de transporte, que não sabia de nada nem fazia parte do esquema. Mas ainda iremos investigar a participação dele no caso”, diz Acácio.

Ao ser detido, o menor disse aos policiais que apenas entregava os documentos e que teria um patrão. Mas a polícia encontrou todo um aparato montado na casa dele, como computadores, impressora e folhas em branco, que possibilitava a fabricação de todos os documentos falsos.

Entre os papéis apreendidos estão diplomas universitários, históricos escolares de várias instituições, holerites e até certificado de formação de bombeiro civil.

Depois de ser ouvido, o adolescente foi liberado na presença de uma tia, que é sua tutora desde a morte de seus pais. A polícia vai investigar agora a participação de outras pessoas no esquema e se as pessoas cujos nomes estão nos documentos falsos se beneficiaram da fraude.

O menor vai responder por ato infracional por falsificação de documentação.

Segundo o delegado Acácio Leite, polícia vai investigar participação de outras pessoas no esquema de falsificação (Foto: Natália de Oliveira/G1)

Leia também:

Um homem de 45 anos de idade foi preso nesta quinta-feira (25) suspeito de matar …