Teatro cancela produção de Woody Allen por acusações de assédio

Diretor foi acusado pela filha adotiva, Dylan Farrow, de abusar sexualmente dela quando ela tinha 7 anos

Um influente teatro dos Estados Unidos cancelou um musical de Woody Allen depois de sua filha, Dylan Farrow, reiterar em rede nacional que foi assediada pelo pai na infância.

O Goodspeed Opera House de Connecticut informou, nesta quinta-feira, que substituirá Tiros na Broadway, adaptação do filme homônimo de diretor, pela paródia musical de A Madrinha Embriagada, de Bob Martin e Don McKellar.

“Tendo em vista o movimento contra assédio sexual e má conduta, o autor de Tiros na Broadway, Woody Allen, tem sido objeto de um escrutínio crescente”, disse o diretor-executivo do teatro, Michael Gennaro, em um comunicado. “As recentes notícias tornaram a situação ainda mais difícil e complicada, e nos levaram a reconsiderar a pertinência do show.”.

Dylan Farrow, filha adotiva que Allen com sua ex-mulher Mia Farrow, reiterou, em uma entrevista televisiva na semana passada, que foi abusada pelo diretor em 1992, quando tinha ela tinha 7 anos. Em 2014, a moça escreveu uma carta aberta ao jornal The New York Times relatando o caso.

Allen, de 82 anos, negou enfaticamente essas denúncias, mencionando que uma investigação já o absolveu nesse assunto, e acusou a família de Farrow de fazer uma lavagem cerebral em sua filha depois que ele deixou sua Mia para casar-se com Soon-Yi Previn, filha adotiva da atriz de um casamento anterior.

Atores como Colin Firth, Ellen Page e Natalie Portman se distanciaram do diretor nas últimas semanas.

SEM COMENTÁRIO