Teatro cancela produção de Woody Allen por acusações de assédio

Um influente teatro dos Estados Unidos cancelou um musical de Woody Allen depois de sua filha, Dylan Farrow, reiterar em rede nacional que foi assediada pelo pai na infância.

O Goodspeed Opera House de Connecticut informou, nesta quinta-feira, que substituirá Tiros na Broadway, adaptação do filme homônimo de diretor, pela paródia musical de A Madrinha Embriagada, de Bob Martin e Don McKellar.

“Tendo em vista o movimento contra assédio sexual e má conduta, o autor de Tiros na Broadway, Woody Allen, tem sido objeto de um escrutínio crescente”, disse o diretor-executivo do teatro, Michael Gennaro, em um comunicado. “As recentes notícias tornaram a situação ainda mais difícil e complicada, e nos levaram a reconsiderar a pertinência do show.”.

Dylan Farrow, filha adotiva que Allen com sua ex-mulher Mia Farrow, reiterou, em uma entrevista televisiva na semana passada, que foi abusada pelo diretor em 1992, quando tinha ela tinha 7 anos. Em 2014, a moça escreveu uma carta aberta ao jornal The New York Times relatando o caso.

Allen, de 82 anos, negou enfaticamente essas denúncias, mencionando que uma investigação já o absolveu nesse assunto, e acusou a família de Farrow de fazer uma lavagem cerebral em sua filha depois que ele deixou sua Mia para casar-se com Soon-Yi Previn, filha adotiva da atriz de um casamento anterior.

Atores como Colin Firth, Ellen Page e Natalie Portman se distanciaram do diretor nas últimas semanas.

Leia também:

Ministro canadense renuncia após ser acusado de assédio sexual

O ministro dos Esportes e das Pessoas com Deficiências do Canadá, Kent Hehr, renunciou nesta …