Jornal Página do Estado

Denúncia aponta falta de anestesia e cirurgias canceladas no PS, mas prefeitura nega

João Vieira

A Sociedade Mato-Grossense de Anestesiologia (Soma) denunciou que diversas cirurgias eletivas foram canceladas no Hopital e Pronto-Socorro de Cuiabá por falta de medicamentos básicos para a realização anestesias em procedimentos cirúrgicos no Hospital e Pronto-Socorro de Cuiabá desde a última quarta-feira (19). Por outro lado, a Prefeitura de Cuiabá negou o problema e garante que está tudo dentro da normalidade

Em nota, a entidade afima que a falta dos insumos, pode inviabilizar, inclusive, a realização de cirurgias de urgência e emergência. A preocupação maior é por causa do período das festividades do final de ano, quando aumentam os casos de acidentes e também as demandas cirúrgicas no Pronto-Socorro.

Também em nota, a Prefeitura de Cuiabá alega ser invírica a informação divulgada pela Sociedade Mato-Grossense de Anestesiologia.

“A Soma informa aos cidadãos que desde quarta-feira (19) começou a faltar medicamentos necessários para a realização de anestesias no Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá. Com isso, foram canceladas diversas cirurgias eletivas e, em breve, isso pode inviabilizar inclusive a realização de cirurgias de urgência e emergência”, consta em nota divulgada à imprensa.

A entidade orienta aos os médicos anestesistas que não aceitem trabalhar de forma improvisada mesmo se houver pressão contra eles.

Confira na íntegra a nota divulgada pela Soma

A Sociedade Mato-grossense de Anestesiologia (Soma) informa aos cidadãos que desde quarta-feira (19) começou a faltar medicamentos necessários para a realização de anestesias no Hospital e Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá.

Com isso, foram canceladas diversas cirurgias eletivas e, em breve, isso pode inviabilizar inclusive a realização de cirurgias de urgência e emergência.

A situação tende a se agravar ainda mais, tendo em vista que se aproximam as festas de final de ano, quando há uma demanda grande de atendimentos emergenciais.

Os médicos anestesiologistas estão sendo orientados a não atuarem de forma improvisada e voluntariosa, mesmo que sejam pressionados por colegas médicos, familiares do paciente ou pelos gestores dos hospitais.

Em nome da segurança dos pacientes e tranquilidade da população de forma geral, a Soma espera que a situação se normalize o mais rapidamente possível e está à disposição dos órgãos competentes para ajudar no que for necessário.

Sociedade Mato-grossense de Anestesiologia

Confirma a íntegra da nota divulga pela prefeitura

Em relação à nota que a Sociedade Matogrossense de Anestesiologia (SOMA) divulgou na imprensa sobre o cancelamento de cirurgias dentro do Pronto Socorro Municipal devido à falta de anestesias, o secretário municipal de Saúde, Luis Antonio Possas de Carvalho informa que essa informação não é verídica.

Ele explica que já há bastante tempo o Pronto Socorro vem trabalhando com um estoque baixo de anestesias, mas que em momento algum deixaram de realizar cirurgias, tanto de urgência e emergência, quanto eletivas devido à falta do produto. O secretário informou que já determinou uma grande compra de anestesias para o início de janeiro, uma vez que nesta época as indústrias já estão fechadas e não fazem entregas.

Ele explica ainda que a motivação da SOMA em divulgar estas informações inverídicas se dá pelo fato da Secretaria ter feito recentemente uma repactuação do contrato da empresa com o Hospital São Benedito, onde conseguiu um valor quase 20% menor do que o anterior.

Fonte: Gazeta Digital

Jornal Página do Estado

Leia também:

Filho pede ajuda para mãe que precisa de cirurgia urgente

Com 50 anos e pesando 36 kg, a dona de casa Maria dos Anjos Santos …