Silvano Amaral defende a manutenção dos serviços da Empaer

Parlamentar afirma que os trabalhos são essenciais para a população que depende da agricultura familiar.

O deputado estadual Silvano Amaral (MDB) recebeu, nessa quinta-feira (10), o presidente e vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública de Mato Grosso (Sinterp-MT), Pedro Carlotto e Gilmar Brunetto, para tratar da manutenção dos serviços da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer). A empresa desenvolve os serviços no estado desde 1964 e hoje está ameaçada de extinção.

“Entendemos que os trabalhos da Empaer são essenciais e com certeza não serão prejudicados. Ajustes estão sendo feitos, porém o que for necessário para garantir o apoio ao trabalhadores rurais será feito sem dúvida alguma e, o nosso governador também os apoiam”, reforçou Silvano.

A manutenção dos serviços é apoiada pela maioria dos parlamentares, em especial o deputado Silvano, que a partir do dia 1º de fevereiro assumirá o comando da Secretaria Estadual de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf).

“A questão da extinção nos deixou preocupados, porque os serviços de pesquisa e assistência técnica uma vez prejudicados, quem sentirá na pele é o trabalhador rural. Porém, saímos daqui (gabinete) com a esperança de que haverá continuidade do que já vem sendo desenvolvido pela equipe da Empaer”, enfatizou o presidente do Sinterp, Pedro Carlotto.

“Essa conversa com o futuro secretário da Seaf foi fundamental para tranquilizar o nosso pessoal. Nós somos parceiros e queremos dar continuidade aos trabalhos que atendem a agricultura familiar, ou seja, o homem e a mulher do campo, que dependem do estado”, alegou o vice-presidente, Gilmar Brunetto.

Vale lembrar que a Empaer é uma empresa pública do estado de Mato Grosso, vinculada à Seaf, parceira dos trabalhares rurais no incentivo de boas práticas rurais e na difusão de novas tecnologias para gerar e garantir o desenvolvimento social e ambiental da família rural.

Fonte: ALMT

Leia também:

Governo apresenta orçamento com déficit previsto de R$ 1,7 bi

Incentivos, inadimplência fiscal, dívida dolarizada e até nomeação de advogados dativos são algumas das razões …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *