Jornal Página do Estado

Empresário que matou sócio e outros 16 vão a julgamento neste mês

OTMAR DE OLIVEIRA

Dezessete réus serão julgados pelo Tribunal de Júri de Mato Grosso em ferereiro.  Um dos julgamentos mais aguardado é o do empresário Silas Caetano de Farias. Ele é denunciado pelo homicídio de Agnaldo de Oliveira Prado, ex-sócio dele em uma loja de venda de veículos.

O primeiro julgamento está marcado para a próxima quarta-feira (13) às 13h30. O crime ocorreu em 2 de fevereiro de 2009, em uma casa no bairro Jardim Mariana, em Cuiabá. Além desse, em fevereiro estão em pauta outros 16 júris, que serão presididos pela juíza Mônica Catarina Perri Siqueira, da Primeira Vara Criminal.

Informações contidas nos autos revelam que a mando de Silas, dois indivíduos não identificados mataram Agnaldo com diversos disparos de arma de fogo. O crime foi cometido na casa da ex-esposa da vítima, com quem ele mantinha um bom relacionamento.

No dia do crime, um homem não identificado bateu palmas na frente da casa, oportunidade em que o filho adolescente da vítima o atendeu. O indivíduo perguntou sobre a vítima e disse que estaria interessado na compra de um veículo. O adolescente entrou na residência e ligou para o pai, que disse que já estava dentro da garagem de casa atendendo uma pessoa interessada na compra do carro.

Em seguida, o jovem foi até a garagem e viu o pai conversando com essa outra pessoa. Pouco depois, ouviu os disparos e quando correu para a frente da casa se deparou com o pai alvejado e caído no chão.   Apesar de os dois executores do homicídio não terem sido identificados, foi apurado que o mandante do crime foi o denunciado Silas, ex-sócio da vítima.

Conforme infomações, o motivo do crime se deu em razão de a vítima ter conhecimento de que o denunciado teria participado dos homicídios que vitimaram 3 de seus próprios filhos e de ter revelado esses fatos ao único filho de Silas que sobreviveu, Jassan Thiago Rosa Jorge. O empresário já foi julgado por esses outros crimes.

Além disso, vale ressaltar que após o assassinato da vítima Agnaldo, Jassan também foi alvo de uma tentativa de homicídio, sendo que o denunciado Silas foi denunciado por ter mandado executá-lo.

Outros julgamentos

Nesta quarta-feira (6) teve início o jugalmento do réu Eberson Roberto Figueiredo Nazário, às 13h30. Ele está no banco réus pelo homicídio de Gilmar Manoel da Costa. Segundo a denúncia, no dia 20 de dezembro de 2006, por volta das 11h40, em uma residência no bairro Doutor Fábio Leit, o acusado, por motivo torpe e utilizando-se de recurso que dificultou a defesa do ofendido, efetuou disparos de arma de fogo contra a vítima, que veio a óbito.

O crime ocorreu por conta de cobrança de dívida relacionada a entorpecentes, já que a vítima era usuário de drogas e o denunciado seria chefe do tráfico na região.

Na sexta-feira (8), também às 13h30, o réu Ernani Guilherme de Magalhães será julgado pelo homicídio de Moises Francisco Sampaio Junior. O crime ocorreu no dia 6 de julho de 2013, por volta das 3h, em um bar denominado Rota 8 Snooker Bar. Segundo relato do próprio acusado, o fato teve início com uma discussão com a vítima, que entrou na cozinha do bar, por engano, achando que era o banheiro. Aproveitando a oportunidade que a vítima estava no banheiro, o acusado foi até quarto dos fundos do estabelecimento comercial, pegou a arma e a deixou no balcão. Quando a vítima saiu do banheiro, foi em sua direção e teria lhe dado um empurrão, feito um xingamento e o ameaçado. Por isso, ele teria sacado a arma e efetuado o disparo.

Fonte: Gazeta Digital

Jornal Página do Estado

Leia também:

Cassada no TRE, Selma defende limpeza geral no Judiciário, mas diz que pedido não é ‘caças às bruxas’

Em reunião com a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), autora do pedido de processo de …