Jornal Página do Estado

Brigando para entrar no TCE, Maluf é julgado por desvios

João Vieira

O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) decide na próxima quinta-feira (14) se aceita denúncia contra o deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB). Ele é acusado por envolvimento em esquema para desvio de dinheiro público da Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

Esta é 5ª vez que assunto entra em pauta, já que nas outras vezes foram adiadas por falta que quórum e ausência do relator, desembargador Rondon Bassil Dower Filho.

O julgamento ocorre na mesma semana em que a Assembleia Legislativa (ALMT) define o rito do processo de indicação e escolha do novo membro do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), vaga da qual Maluf tem interesse.

O parlamentar já chegou a anunciar publicamente que irá disputar a vaga e que denúncia judicial não o desabilitaria. Princípios do cargo no TCE são os conceitos de idoneidade moral e reputação ilibada.

A denúncia contra Guilherme Maluf é oriunda da Operação Rêmora, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) em 2016.

A ação aponta um esquema de fraudes em obras de reforma e construção de escolas que inicialmente estavam orçadas em R$ 56 milhões. O julgamento deve ocorrer após a derrubada do sigilo na delação premiada do empresário Alan Malouf (primo de Guilherme), determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Guilherme Maluf é acusado de ter recebido R$ 40 mil em propina, dinheiro desviado da Seduc no esquema que veio à tona com a deflagração da operação Rêmora em maio de 2016.

O Ministério Público Estadual (MPE) denunciou Maluf por organização criminosa, corrupção passiva (20 vezes) e embaraçamento da investigação.

Consta na denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) que o parlamentar teve a mesma participação de Alan Malouf na organização criminosa. Ele é acusado de integrar o núcleo de liderança da organização, sendo beneficiário direto de parcela da propina arrecadada, além de se valer das influências políticas proporcionadas pelo cargo eletivo para promover as articulações necessárias.

Na denúncia, além do deputado Guilherme Maluf, também foi alvo seu motorista Milton Flávio de Brito Arruda, acusado de prejudicar investigação.

Fonte Gazeta Digital

Jornal Página do Estado

Leia também:

Juiz cita periculosidade e nega transferência de Hércules

Justiça nega pedidos de transferência de unidade prisional, de entrada de livros, revistas e alimentos …