Jornal Página do Estado

24 escolas de Cuiabá e Várzea Grande têm altos índices de violência, diz promotor

Promotor de Justiça Miguel Slhessarenko — Foto: TV Centro América

Promotor de Justiça Miguel Slhessarenko.

O promotor de Justiça Miguel Slhessarenko foi entrevistado no quadro Papo das Seis desta quinta-feira (13). Ele falou sobre casos de violência escolar, projetos e planejamentos para evitar esse tipo de situação no ambiente das escolas. Veja Trecho da entrevista.

“Em Cuiabá e Várzea Grande temos 24 escolas estaduais com altos índices de violência, tanto em 2017 e 2018. Sempre com índices altos de violência: ameaças, lesões corporal, furto e agressões. Então são situações que se fossem tomadas medidas, os alunos não evoluíram para ameaças ou agressões”, explicou.

Slhessarenko atua no Núcleo de Defesa da Cidadania. O Ministério Público, em parceria com o Poder Judiciário e a Secretaria Estadual de Educação, estão capacitando profissionais de escolas estaduais para mediar situações de conflito e violência.

“Hoje vivemos um momento crítico. As famílias têm medo de enviar os filhos às escolas pelo que pode acontecer lá dentro. O ambiente que antes era de formação de cidadania e considerado seguro pelas famílias, hoje é visto como ambiente hostil e violento, de risco. Isso tanto para a rede pública quanto para a rede privada”, afirmou o promotor.

De acordo com Slhessarenko, a partir dessas demandas e crescente onda de violência, o MPE, com a Seduc e o Poder Judiciário, elaborou um projeto de imediação escolar, criando alternativas e ferramentas.

O projeto tenta ajudar os professores para que eles possam lidar com essa nova realidade e resolver consensualmente alguns conflitos e discussões dentro da sala de aula.

“Hoje as redes sociais potencializam qualquer discussão e qualquer tipo de conflito, além de existir a facilidade de obtenção de armas e drogas. A violência é manifestada principalmente na rede pública escolar, justamente por causa do ensino médio, onde têm adolescentes em conflitos ou processo de afirmação”, finalizou.

Fonte: G1.com

Jornal Página do Estado

Leia também:

Presidente do Tribunal de Contas Campos Neto mantém contratos superfaturados no TCE-MT

Próxima edição valor do desvio no contrato de informatica(a ponta do ICeBerg) que levou Novelli …