Jornal Página do Estado

Polícia Civil indicia motorista por homicídio doloso e lesão corporal qualificada

A Polícia Judiciária Civil, por meio da Delegacia Especializada de Delitos de Trânsito da Capital, concluiu o inquérito e indiciou a condutora Rafaela Screnci da Costa Ribeiro por homicídio doloso e lesão corporal em decorrência do acidente ocorrido no dia 23 de dezembro de 2018, na Avenida Isaac Póvoas, em Cuiabá, que ocasionou a morte de duas pessoas e lesão em uma terceira. Já a estudante Hya Girotto Santos foi indiciada por homicídio culposo.

O delegado Christian Alessandro Cabral afirma que os laudos periciais revelaram de forma robusta duas situações que culminaram com a morte das vítimas, Myllena de Lacerda Inocêncio e Ramon Alcides Viveiros. Conforme o delegado, apesar do local do acidente ter grande movimentação de pessoas e veículos, a condutora Rafaela Screnci tinha plenas condições de visibilidade da situação e da prévia presença das duas vítimas, que estavam paradas na faixa de rolamento. Ainda assim, não teria reduzido a velocidade ou realizado qualquer manobra para evitar o atropelamento, situações que revelam que a indiciada teria assumido o risco de causar o acidente.

Outra conclusão apontada no inquérito é que Hya Girotto também teria contribuído para o atropelamento, por retardar a conclusão da travessia da pista e dispersar a atenção das vítimas, fazendo-as ficarem em situação de perigo, sem chances de reação.

O delegado explica que Rafaela Screnci foi originalmente indiciada pela prática de homicídio culposo, contudo, com a conclusão do inqúerito, ela passa agora a responder pelo crime de homicídio comum, sujeita a pena de 6 a 20 anos por vítima, e lesão corporal , com pena que varia de dois a cinco anos.

Hya Girroto, que anteriormente configurava apenas como vítima, passa a responder por lesão corporal culposa qualificada no trânsito, pois o comportamento imprudente colaborou para que as vítimas de distraíssem e não vissem a aproximação do veículo conduzido por Rafaela, e que culminou com a morte das duas vítimas. A pena para lesão corporal culposa qualificada é de um a três anos de detenção.

O inquérito será remetido ao Ministério Público Estadual.

O acidente

Ocorrido no dia 23 de dezembro de 2018, na Avenida Isaac Póvoas, o acidente em frente à boate Valley, na Avenida Isaac Póvoas, na Capital, deixou um morto no local e duas pessoas gravemente feridas, encaminhadas ao hospital.

A condutora do veículo Rafaela Screnci da Costa Ribeiro, 33 anos, na ocasião, foi presa em flagrante e autuada no plantão da Polícia Civil pelos crimes de homicídio culposo na direção de veículo e lesão corporal culposa na direção de veículo. Ela foi conduzida para audiência de custódia, onde foram adotadas medidas cautelares e aplicada fiança pelo juiz. A motorista pagou o valor da fiança e foi posta em liberdade no dia seguinte, 24 de dezembro.

O acidente vitimou no momento da colisão a universitária Myllena de Lacerda Inocêncio, de 22 anos, deixou gravemente feridos Ramon Alcides Viveiros, 25 anos (que morreu após ficar 5 dias internado) e Hya Giroto Santos, 21 anos, a única sobrevivente do atropelamento.

A condutora da caminhonete trafegava sentido bairro/centro pela faixa de rolamento da esquerda, quando nas proximidades da boate atropelou os pedestres Hya Girotto Santos, Ramon Alcides Viveiros e Myllena de Lacerda Inocêncio, ocasionando lesões corporais graves em ambas as vítimas, que foram socorridas pelo Samu e encaminhadas ao PSM de Cuiabá.

O acidente gerou ainda danos materiais em outro veículo que estava estacionado, um Gol (NPK7309).

Fonte: Caldeirão Politico

Jornal Página do Estado

Leia também:

Juiz tira férias e audiência para ouvir testemunhas fica para o próximo ano

O interrogatório de testemunhas na ação que investiga a morte do policial militar Abinoão Soares …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *